logo fortezza
< Voltar

Conteúdos


Private equity: Em um cenário desafiador, o que ‘brilha os olhos’ dos fundos?



 

Private equity: Em um cenário desafiador, o que ‘brilha os olhos’ dos fundos?

Após dois anos de máximas históricas, 2023 está sendo um ano de notória desaceleração global dos investimentos realizados por fundos de private equity. No Brasil, o cenário não foi diferente. Existem algumas razões que contribuem para esse slowdown. As políticas monetárias contracionistas praticadas por bancos centrais ao redor do mundo — marcadas pelo aumento expressivo nas taxas de juros —, geraram desequilíbrio financeiro para companhias com maior endividamento, crises de corridas bancárias e de concessão de crédito, dificuldade para captação de novos recursos pelos fundos e desafios para desinvestimentos através de IPOs. Além disso, a instabilidade política mundial e a ausência de uma visão clara dos objetivos do atual governo brasileiro têm gerado um ambiente de maior cautela por parte dos investidores.  

Esse cenário permeado por incertezas torna os investimentos mais arriscados, levando muitos fundos a adotar uma abordagem mais conservadora e a reduzir o ritmo de investimento. Com isso, vimos surgir um grande questionamento dos empreendedores brasileiros sobre quais são as principais características de uma empresa que segue atraindo os fundos para investir, mesmo em um cenário macroeconômico tão desafiador.  

Posição de liderança em mercado nichados ou tecnologia diferenciada 

Em todos os principais setores da economia, os fundos de investimento vêm buscando por empresas líderes em setores que são nichos de mercado, ou seja, aquelas que geralmente apresentam alto valor agregado na cadeia, maior ticket médio e transformação no modelo de negócios de indústrias estabelecidas.  

Por exemplo, dentro do setor de alimentos, um subconjunto que atrai interesse é o de alimentos funcionais e saudáveis, que atendem à uma crescente demanda mercadológica e apresentam margens acima da média do setor. Além disso, dentro de grandes setores considerados atrativos historicamente e que passam por movimentos expressivos de consolidação, como saúde e educação, há uma constante busca por players que conseguem se diferenciar através de tecnologias inovadoras. Dentro do setor de saúde, plataformas com inteligência ou acesso diferenciado em telemedicina, além de monitoramento remoto de pacientes, têm demonstrado crescimento expressivo.  

Crescimento alto e consistente 

O crescimento sólido de uma empresa sempre foi e continuará sendo um dos principais critérios que atraem atenção de fundos de private equity. O crescimento pode ser impulsionado por fatores como: demanda crescente pelos produtos ou serviços da empresa, entrada em novos mercados ou o lançamento de produtos inovadores. Os fundos estão dispostos a investir em companhias que tenham um plano estratégico claro para impulsionar crescimento, e que possa ser fortalecido com o capital aportado — comumente usado também para alavancar a expansão de forma inorgânica através de aquisições. 

Lucratividade e resiliência financeira 

Após um extenso período de rodadas de investimento em ativos, especialmente no setor de tecnologia, que cresceram aceleradamente às custas de alta queima de caixa para aquisição de clientes (CAC) e expansão de equipe, os fundos de private equity têm adotado postura mais conservadora ao analisar projeções financeiras de potenciais investimentos. Atualmente, o foco está em empresas que possuem demonstrada rentabilidade histórica, além de uma estrutura de capital e alavancagem condizente com o porte, setor e momento da empresa. Esses critérios também são reforçados num momento de alta taxa de juros em que diversos players têm enfrentado dificuldades em fazer frente ao seu serviço da dívida e considerado estruturas alternativas de alavancagem.  

Em resumo, os fundos de private equity têm visto com bons olhos empresas que atuem em nichos variados de mercado, com um diferencial competitivo através de tecnologia, crescimento sustentável e fundamentos financeiros sólidos. Outros fatores que afetam o processo de tomada de decisão e o valuation dos ativos são: equipes de gestão competente e uma estratégia de saída clara. É importante lembrar que a redução no ritmo de investimentos é um movimento transitório, uma vez que os recursos dos fundos já foram captados e possuem um período definido para investimento e retorno do dinheiro aos seus investidores.  




M&As DEVEM TER ANO EXPRESSIVO EM 2024

Em artigo exclusivo para o Valor Econômico, nosso sócio fundador Denis Morante fala sobre as perspectivas do mercado de M&...

Fortezza Partners foi assessora exclusiva da IMendes na transação com a e-Auditoria

Em agosto de 2022, a e-Auditoria, empresa que oferece soluções de última geração em compliance fiscal e recuperação tribu...

O potencial crescente da energia solar no Brasil

O mercado de fusões e aquisições (M&A) no Brasil tem sido palco de uma série de movimentações significativas nos últi...




INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

    RUA JOAQUIM FLORIANO, 1.120 - 2° ANDAR - ITAIM BIBI - SÃO PAULO-SP, BRASIL
    CEP: 04534-004 - TEL. +55 11 4502-4463

    © 2021 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - FORTEZZA PARTNERS - Website by: plyn!